quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Bloco do eu sozinho


"Toda rosa é rosa porque assim ela é chamada
Toda Bossa é nova e você não liga se é usada
Todo o carnaval tem seu fim
Todo o carnaval tem seu fim
E é o fim, e é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz" (Los Hermanos)


Aquela famosa frase, "todo carnaval tem seu fim", mais uma vez tem efeito. Junto com o fim do carnaval, se vão as paixões de carnaval. Mas do que estou falando, se nem isso eu tive. Está certo que também não tive um carnaval convencional, mas estou tentando chegar em um único ponto, eu não tenho ninguém. Sim, sem rolos, sem amores, talvez uma paixão platônica e uma 'meio' platônica, e principalmente, sem pegação promíscua. E nessas horas vejo como a carência anda me abatendo. Algumas vezes penso em voltar para minha vida bandida, outras em sossegar, namorar, casar e blá blá blá. Mas logo em seguinda me lembro, que para eu conseguir um namorado, preciso que ele também queria namorar comigo, dai já volto a pensar na pegação promíscua, mas logo desisto, não tem mais graça, ao contrário, no outro dia tenho nojo de mim. Resumindo, o carnaval acabou e parece que minha 'vida social sentimental' também está no fim.

8 comentários:

M.G. disse...

em breve sua vida social sentimental dá um up! Porque você merece alguém, e merece ser feliz 'estando junto'

'Se tudo passa, talvez você passe por aqui..'

Marcelo Mayer disse...

a marcha da quarta-feira de cinzas me parece mais sincera

Marcelo Mayer disse...

não não... magina. eu que me expressei mal. só quis dar um exemplo de uma das músicas mais belas! desculpe

cн૯ℓуηнα disse...

Calma um dia isso acontecerá e vc nem predisará procurar.
BJusss

EFS*** disse...

Nossa... fala assim não... se ainda não apareceu o cara certo é porque não chegou a hora... sem desespero heim... afinal, bonita e inteligente assim, acho que eles têm é medo de ficar por baixo na relação! ;)

Mil beijos... saudades!

Alexandre Fernandes disse...

Eu já até me acostumei com angústias assim sabe. Já cheguei a me desesperar (e as vezes é impossível segurar mesmo - não somos de ferro).

E é natural termos certa carência. Somos propensos a desejar afeto, alguém que nos compreenda, nos dê sentimento, nos aceite, nos ame.

Não posso nem me revoltar aqui contigo, porque é algo tão natural de todos nós. Eu já me afligi tanto já. E me sinto sempre me identificando com os temores alheios. Porque no fim todos tem mesmo né.

Não adianta eu pedir algo pra você melhorar, porque na teoria é muito fácil, mas na prática é muito difícil você se ligar e se permitir certas coisas. Eu sei como, na pele.

Enfim, torço que você encontre esse alguém que possa te respeitar como mulher, possa te dar afeto, te dar a companhia, te declamar poemas, declarações, que possa verdadeiramente te amar.

Ele vai chegar logo. =)

Grande beijo pra você Paulinha.
Desculpa tá invadindo o seu blog assim. Gostei daqui.E se gosto apareço. É um blog muito verdadeiro. Permita-me que eu possa vir mais vezes. Juro que me comporto rs =D

Fica bem hein.

Fernanda disse...

Resumiria em: MATURIDADE!
E acrescento.. Parabéns!

Jaya Magalhães disse...

O mundo acaba em 2012, Paulinha! Ano que vem, vivamos o carnaval como ele é. E fim! Haha.

Falando sério, acho que você precisa mais é parar de pensar. Deixa as coisas acontecerem. Acredita: uma hora acontece!

'Vou levando assim, que o acaso é amigo do meu coração'.

[Rodrigo Amarante]

Um beijo.